«Voltar

SITUAÇÃO POLÍTICA NA GUINÉ-BISSAU AINDA NÃO É ESTÁVEL

A informação foi avançada pelo Presidente do Parlamento da Guiné-Bissau, Cipriano Cassamá, quando falava à imprensa, após o encontro de cortesia mantido com o seu homólogo angolano, Fernando da Piedade Dias dos Santos, à margem da IX Assembleia Parlamentar da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), a ser oficialmente aberta hoje, no Palácio da Assembleia Nacional, pelo Chefe de Estado angolano, João Lourenço.

Cipriano Massamá disse que o Parlamento guineense tem estado a trabalhar para garantir a estabilidade política e social, depois de a maioria dos deputados do seu país ter aprovado uma resolução que determina a cessação imediata das funções constitucionais do Presidente da República cessante, Mário Vaz, e a sua substituição no cargo pelo Presidente da Assembleia Nacional Popular (ANP).

A situação política da Guiné-Bissau esteve em discussão durante a Cimeira dos Chefes de Estado e de Governo da Comunidade Económica dos Países da África Ocidental (CEDEAO), realizada em Abuja, na Nigéria, a 29 de Junho último. No entanto, Cipriano Massamá disse que as resoluções saídas da cimeira não estão a ser respeitadas por José Mário Vaz, que se mantem em funções até à tomada de posse do futuro chefe de Estado, cujas eleições presidenciais foram convocadas para 24 de Novembro.

O Presidente da República da Guiné-Bissau recusa Domingos Simões Pereira, líder do PAIGC, vencedor das eleições legislativas e continua sem indigitar o futuro Governo, denunciou o parlamentar guineense.

A crise política na Guiné-Bissau será também um dos pontos em abordagem durante as sessões de trabalho da IX Assembleia Parlamentar da CPLP, visto que Cipriano Massamá vai apresentar o relatório da avaliação da actual situação política e social do seu país.

Apresentou ainda cumprimentos de cortesia ao Presidente da Assembleia Nacional, Fernando da Piedade Dias dos Santos, na segunda-feira, o seu homólogo de S.Tomé e Príncipe, Delfim Santiago das Neves.