«Voltar

PRESIDENTE ITALIANO RECEPTIVO A NOVAS FORMAS DE COOPERAÇÃO

"Esta é a hora de juntos marcharmos corajosamente para o mundo de todos os homens", assim Sérgio Mattarella, Chefe de Estado da Itália, encerrou o seu discurso no Parlamento, quando falava aos deputados, por ocasião da sua visita ao nosso país, citando versos do poema "Saudação", da autoria do primeiro Presidente da República de Angola, António Agostinho Neto.

Com base nesta alusão, o estadista italiano enfatizou o optimismo que norteia as relações de amizade e cooperação já mantidas entre os dois países há quatro décadas. Para Sérgio Matarella, a referida relação pode evoluir para outros patamares, por isso “o diálogo” será o caminho a seguir, para que se tornem cada vez mais frutuosas e mutuamente vantajosas.

O seu país deseja estabelecer parcerias, não só com Angola, mas com toda a África “numa perspectiva de crescimento das respectivas sociedades”, sublinhou. O fenómeno da emigração, sobretudo a ilegal, deve ser contido, no sentido de se salvaguardar os direitos humanos. Este desiderato, segundo o Presidente da Itália, pode ser alcançado apenas com sociedades bem-estruturadas, com economias fortes e inclusivas, capazes de garantir a prosperidade dos povos a nível mundial.

 

RELAÇÕES HISTÓRICAS

Ao central o seu discurso nas relações históricas existentes entre a Itália e Angola, Sérgio Mattarella reconheceu que “o património de amizade que se desenvolveu ao longo do tempo nos permite hoje colher oportunidades excepcionais”. Destacou, portanto, vários marcos deste relacionamento, que compreendem a ida, em 1608, do primeiro embaixador angolano à Itália, das crónicas dos Padres Capuchinhos e Angola, a intensidade espiritual estabelecida entre a Rainha Ginga e o padre Giovanni Cavazzi (que viveu 37 anos no Congo), da riqueza das obras literárias dos escritores angolanos Artur Carlos Maurício dos Santos “Pepetela”, Ana Tavares e de Agostinho Neto, publicadas na Itália.

Na oportunidade, o visitante elogiou a dimensão patrimonial e a “grandeza” da cultura nacional e felicitou os angolanos pelainscrição do centro histórico da cidade de Mbanza Congo, norte de Angola, como Património Mundial da Humanidade.

 

LUANDA COMO CENTRO ESTRATÉGICO

No âmbito geopolítico, Mattarella voltou a referenciar Luanda, como um ponto estratégico nas ligações entre a Europa e África. Ressaltou, todavia, o papel“importantíssimo” da capital angolana para o fortalecimento da estabilidade e da segurança na Região da África Austral e da Região dos Grandes Lagos.

O Presidente da República da Itália ponderou intensificar as relações no domínio económico, nomeadamente, na agroindústria, energias renováveis, no sector manufacturado e no turismo.

 A exploração de mármore na Huíla, a construção e a gestão dos caminhos-de-ferro, a proteçcão das costas angolanas, telecomunicações, sustentabilidade ambiental, zootecnia e produções agro-alimentares foram apontadas como algumas das áreas de interesse da Itália em Angola, embora sejam já “realidades de trabalho consolidadas”.

Sérgio Mattarella foi o primeiro Chefe de Estado a ser recebido, em Sessão Solene, no Palácio da Assembleia Nacional, a funcionar nas novas instalações desde 11 de Novembro de 2015, data da sua inauguração.

No último dia da sua visita de Estado, de dois dias, a Luanda, o Presidente italiano marcou presença na Assembleia Nacional, acompanhado pela primeira-dama, Marta Mattarella, membro do governo e altos funcionários governamentais da República da Itália.