«Voltar

PARLAMENTOS DE ANGOLA E PORTUGAL RENOVAM PROGRAMA DE COOPERAÇÃO

O Secretário-Geral da Assembleia da República de Portugal, Albino de Azevedo Soares, manteve hoje, dia 09, um encontro de cortesia com o Presidente da Assembleia Nacional de Angola, Fernando da Piedade Dias dos Santos.

De acordo com Albino de Azevedo Soares, o propósito do encontro foi de apresentar, a Fernando da Piedade Dias dos Santos, cumprimentos do seu homólogo, Eduardo Ferro Rodrigues.

"Aproveitei a oportunidade para dar a conhecer ao Presidente do Parlamento angolano, Fernando da Piedade Dias dos Santos, sobre o estado das relações de cooperação a nível dos Parlamentos de ambos os países”, anunciou o Secretário-Geral do Parlamento português.

Na sequência dos trabalhos, os Secretários-Gerais da Assembleia Nacional de Angola e da República Portuguesa avaliaram o Programa de Cooperação Administrativo-Parlamentar de 2015/2016.

Constam do referido programa de cooperação um conjunto de acções destinadas ao reforço da capacidade institucional e dos serviços administrativos, com particular incidência para a formação de quadros.

O apoio parlamentar e assessoria jurídica, as relações públicas, protocolo e relações internacionais, a administração dos recursos humanos, financeiros e patrimoniais, a documentação e informação e as tecnologias de informação, bem como a comunicação e imagem são os seis domínios, que o Programa de Cooperação contempla.

As Administrações Parlamentares de Angola e Portugal concluíram que as acções inseridas no programa de cooperação 2015/2016 foram efectivamente realizadas dentro dos prazos previstos.

Ambos os Secretários-Gerais procederam à assinatura do Programa de Cooperação para o período de 2017/2018, instrumento que observa o alargamento do âmbito de intervenção do programa para áreas não previstas anteriormente.

Em declarações à imprensa, o Secretário-Geral da Assembleia da República de Portugal, Albino de Azevedo Soares, realçou a necessidade de se identificar o potencial das administrações parlamentares de ambos os países para possibilitar uma troca de experiências benéfica, capaz de garantir a prestação de um serviço com qualidade aos deputados.

“O Parlamento angolano já deu passos que o Parlamento português ainda não deu e vice-versa. Portanto, vamos trocar experiências para evitarmos erros administrativos nos Parlamentos de Angola e de Portugal”, defendeu Albino de Azevedo Soares.

O Secretário-Geral da Assembleia Nacional de Angola, Pedro Agostinho de Neri, aproveitou a ocasião para apelar os funcionários parlamentares a tirarem o maior proveito do Programa de Cooperação.

“Devemos trocar experiências com o objectivo de darmos a conhecer o que praticamos na administração do nosso Parlamento e adaptarmos o que aprendemos”, advertiu Pedro Agostinho de Neri.