«Voltar

OBRAS DO NOVO AEROPORTO REINICIAM ESTE ANO

A garantia foi dada pelo Ministro dos Transportes, Ricardo d'Abreu, aquando da visita da delegação parlamentar, composta por 30 deputados, encabeçada pela Deputada Ruth Mendes, as infraestruturas do futuro Aeroporto Internacional de Luanda, cujas obras de construção estão paralisadas há mais de dois anos.

Segundo Ricardo d’Abreu na base da referida paralisação está a necessidade de realização de algumas medidas correctivas no âmbito do projecto do ponto de vista de engenharia e da funcionalidade do novo aeroporto. Apesar de considerar possível o arranque das obras para este ano, o ministro refere que está ainda em curso um processo de negociação com o novo empreiteiro.

“Nós estamos nesta altura a terminar as negociações com o novo empreiteiro geral da obra (a AVIC, também da China), e pensamos que nos próximos 15 ou 30 dias vamos conclui-la. Com base nesta negociação, pensamos assinar uma adenda e definirmos o novo cronograma”, garantiu. 

O governante adiantou, no entanto, que “as negociações com a nova construtora estatal chinesa estão bem avançadas, daí estarmos convencidos que ainda este ano será possível retomarmos as obras, que precisarão de pelo menos seis meses para atingirem a velocidade cruzeiro”.

Entre construção e paralisações, a obra do Novo Aeroporto Internacional de Luanda já dura há 13 anos e, para a continuidade dos trabalhos de optimização da infraestrutura aeroportuária, está disponível uma linha de financiamento da China de 1,4 mil milhões de dólares. Todavia, o ministro Ricardo d'Abreu assegurou a implementação do projecto na íntegra, em fases diferentes, e que estão reservados espaços para o investimento privado no polígono do próprio aeroporto, cujas obras iniciaram em 2007, com um orçamento global inicial de 5 mil milhões de dólares.

Em declarações à imprensa, a Deputada Ruth Mendes, Presidente da Comissão de Economia e Finanças, realçou a “sábia” decisão do Executivo em reformular o projecto aeroportuário e retomar a obra devido a importância estratégica desta infraestrutura quer o país, como para a região Austral da África.

OPOSIÇÃO PEDE CELERIDADE NA CONCLUSÃO DA OBRA

Por sua vez, o Deputado Manuel Fernandes, da CASA-CE, enalteceu a postura do Executivo no sentido de ter salvaguardado o realojamento das 250 famílias camponesas residentes na zona adjacente ao futuro aeroporto, a serem transferidas, em breve, para a comuna de Caculo Cahango, onde estão em fase de acabamento as habitações que lhes foram destinadas.

Por outro lado, o parlamentar enfatizou a necessidade da conclusão da empreitada no prazo estimado (2022/2023). A questão foi reiterada pelo Deputado Manuel Ekuikui, da UNITA, que reclamou da falta de precisão na indicação dos prazos efectivos quer da retomada da obra, quer da sua conclusão, assim como dos avultados valores gastos no projecto, cuja edificação dura há já 13 anos.

“As infraestruturas são efectivamente grandiosas e de orgulhar qualquer angolano. Mas estamos mais preocupados com a conclusão do projecto, que deverá gerar milhares de empregos para os jovens”, esclareceu o parlamentar da UNITA.

A nova infraestrutura aeroportuária, além de se pretender moderna, deverá obedecer os padrões da organização da aviação civil internacional.

Com previsão de conclusão da obra entre 2022 e 2023, o futuro aeroporto internacional de Luanda está a ser construído na comuna de Bom Jesus, no município de Ícolo e Bengo, a 30 quilómetros de capital do país.