«Voltar

MULHERES PARLAMENTARES JUNTAS NO COMBATE AO USO DE DROGAS

O Grupo de Mulheres Parlamentares (GMP) reuniu-se nesta quarta-feira, dia 27, para uma vez mais analisarem as bases de actuação para o combate ao uso de drogas.

Foi há precisamente três meses desde o lançamento do Movimento Nacional de Prevenção e Combate ao Uso das Drogas, que o GMP decidiu juntar a sua voz na luta contra as drogas, numa iniciativa que pretende fortalecer as estratégias de promoção da luta contra a droga no país.

Augusta Daniel, deputada e coordenadora deste Movimento, fez saber que o encontro de trabalho visou essencialmente a planificação das actividades a serem desenvolvidas nos próximos meses.

“O problema das drogas assola grande parte das famílias angolanas e a sociedade em geral. Por isso, nós criamos este movimento no sentido de mitigarmos este fenómeno. Os números são assustadores. Infelizmente temos muitos consumidores de drogas”, disse a parlamentar.

O Movimento Nacional de Prevenção e Combate ao Uso de Drogas é um grupo temático que conta com a colaboração de vários departamentos ministeriais, em parceria com o Instituto Nacional Contra as Drogas, para a garantia, conservação e implementação dos valores morais e éticos.

O projecto tem como objectivo criar um movimento nacional para educação, sensibilização, combate ao consumo de drogas lícitas e ilícitas, uso nocivo de bebidas alcoólicas, bem como a diminuição da toxicodependência, mitigando as suas consequências. Pretende ainda contribuir com acções preventivas para a redução da incidência de casos relacionados ao uso e abuso de substâncias psicoactivas e actualizar o acervo legislativo contra o uso de drogas.

As parlamentares estão neste momento a trabalhar para expandir o projecto para outras províncias. No âmbito das suas actividades, o Movimento Nacional de Prevenção e Combate ao Uso de Drogas, gizou um plano com 54 acções de intervenção em estabelecimentos estudantis, com a realização de palestras e workshops em igrejas, mercados, organizar feiras de saúde nas comunidades e em locais de maior afluência e realizar visitas a unidades hospitalares.