«Voltar

HEROÍNAS ANGOLANAS RELEMBRADAS NO PARLAMENTO

Contrariamente à percepção de que as mulheres angolanas ficaram sempre através nas várias etapas que levaram à Independência Nacional, a verdade é que a História regista com destaque a coragem e dedicação de mulheres como Deolinda Rodrigues, Teresa Afonso, Engrácia dos Santos, Irene Cohen, Lucrécia Paím e milhares de outras anónimas.

No mês em que Angola assinala 43 anos de independência, o Grupo de Mulheres Parlamentares levou a cabo um workshop sobre o contributo da mulher angolana na conquista da paz efectiva e o seu papel actual na consolidação da democracia.

Na ocasião, a primeira-vice Presidente da Assembleia Nacional, Emília Carlota Dias, em representação de Fernando da Piedade Dias dos Santos, fez saber no seu discurso de abertura que “as lições e os bons exemplos do passado devem servir de fontes de inspiração no sentido de sermos capazes de gerar mais valor para todo nacional”.

Na ocasião, a nacionalista Rodeth Gil afirmou que a mulher angolana ainda não está satisfeita com os ganhos alcançados e por isso deve continuar a trabalhar activamente na luta contra pobreza e erradicação do analfabetismo. A antiga Deputada referiu ainda que o elevado índice de analfabetismo limitou muito esta franja da sociedade.

Já a Presidente do Grupo de Mulheres Parlamentares, Maria do Carmo do Nascimento, defendeu nesta sexta-feira (16), a necessidade de haver maior participação das mulheres nas diferentes áreas de actuação.

A luta de emancipação das mulheres esteve sempre relacionada com o processo de libertação nacional, onde as heroínas da pátria angolana “combatentes” sempre participaram ao lado dos homens.

A palestrar esteve igualmente a Deputada Miraldina Jamba, que defendeu a unidade e participação social activa da mulher, para o êxito nos diferentes domínios, realçando as políticas traçadas pelo Executivo, no que diz respeito ao empoderamento da mulher, para alcançar altos patamares.

A Deputada Amália Maria Alexandre, que dissertou o tema sobre o papel da mulher na resolução de conflitos, referiu que esta tem tido grandes êxitos.

O evento que juntou parlamentares, membros do Governo, de partidos políticos, da sociedade civil, entre outros, encerrou com uma singela homenagem às guerreiras que, com empenho, prontidão e valentia, não hesitaram em dar a sua vida em prol da causa da liberdade de um povo, numa frente de combate.