«Voltar

ESTUDANTES QUEREM ENSINO ADAPTADO A REALIDADE DO PAÍS

O desafio foi lançado nesta quarta-feira, dia 30, no encontro mantido entre os deputados da 6ª Comissão de Trabalho Especializada da Assembleia Nacional e a União dos Estudantes do Ensino Superior de Angola (UEESA).

A frequentar o curso de pedagogia, Filipe Quembo, defende que o Estado deve dar uma atenção especial a investigação científica e olhar para as universidades como parceiros no desenvolvimento do país. O estudante adverte ainda para uma maior valorização dos projectos desenvolvidos pelas universidades.

O período de pausa nas aulas é observado pelos estudantes como uma oportunidade para o Estado visitar, analisar e trabalhar em projectos resultantes de estudos de impacto social, que uma vez aplicados dariam maior qualidade de vida aos cidadãos.

Segundo, o Presidente da Associação de Estudantes desta instituição de ensino a melhoria do serviço prestado passa necessariamente pela criação de laboratórios, de centros de estágios, na construção de um hospital universitário, no apetrechamento das bibliotecas já existentes, no reforço do corpo docente e no desenvolvimento de políticas de intercâmbio entre as universidades existentes no país.

 

MAIS APOIO AOS UNIVERSITÁRIOS

Em entrevista, o Presidente do Movimento Nacional dos Estudantes Universitários de Angola, José Sequeira, considerou o encontro positivo, na medida em que foi possível deixar aquilo que são as ideias e contribuições dos estudantes do Ensino Superior. Dentre as muitas sugestões apresentadas, destacam-se o surgimento de uma rede de transportes para estudantes, capaz de contribuir para a redução do fenómeno do abandono escolar, a criação do cartão nacional de apoio ao estudante e do fundo nacional de apoio ao estudante. Instrumentos esses que ajudariam a minimizar os constrangimentos vividos hoje.

Uma reflexão foi ainda apresentada em relação ao perfil de entrada e saída do estudante universitário, perfil do professor, uniformização dos planos curriculares dos cursos, direitos e garantias dos estudantes do ensino superior, tratamento especial ao estudante destacado, combate a venda de bebidas alcoólicas juntos às universidades, institucionalização das associações de estudantes, criação de editoras para publicação do material produzido pelos estudantes, uniformização de propinas, melhoria das condições de trabalho dos professores e redução aduaneira para importação de material didático.

O encontro, orientado pelo Presidente da Comissão de Saúde, Ensino Superior, Ciência e Tecnologia, Víctor Kajibanga, contou com a presença de cerca de 70 estudantes. Foi realizado com o propósito de interagir com os estudantes universitários do país e transmitir a visão dos deputados sobre o Ensino Superior e o corpo discente, recolher contribuições e conhecer a visão dos estudantes sobre o actual estado do ensino, identificando, porém, os pontos fortes e fracos para a melhoria da sua qualidade.