«Voltar

RECLUSOS NO HUAMBO COM ESPERANÇA DE MELHORES DIAS

O estabelecimento prisional do Cambiote, na Província do Huambo, recebeu a visita dos deputados da Comissão dos Assuntos Constitucionais e Jurídicos da Assembleia Nacional (1ª Comissão), que garantiram levar as preocupações recolhidas, na ocasião, a nível central.

Da visita de constatação, o Deputado Reis Júnior, Presidente da 1ª Comissão de Trabalho Especializada, que encabeçava a delegação parlamentar, referiu que ‘’o estabelecimento prisional esta organizado e com condições de higiene adequadas. Há actividades educativas e académicas para os reclusos que aprendem uma profissão, por isso podemos dizer que estamos satisfeitos com o que apreciamos’’.

A comarca controla actualmente uma cifra de 1.223 reclusos entre detidos e condenados, sendo 391 detidos nacionais, 2 detidos estrangeiros da Guiné Conacri e Mauritânia, 10 detidas das quais 6 tem em sua posse os filhos, 801 condenados, destes 01 estrangeiro da Costa do Marfim e 19 condenados.

A voz de um recluso falou por todos, ‘’sentimo-nos satisfeitos de que algumas lacunas que se prendem com situações de ilegalidade decorrentes da nossa detenção e não só, possam ser ultrapassadas com a vossa visita’’, expressou.

A Comarca do Cambiote controla um total de 167 reclusos em liberdade condicional, os quais estão sujeitos a um acompanhamento permanente através da realização de visitas institucionais.

Apesar das dificuldades são garantidas as três refeições por dia.

Embora os reclusos beneficiem de assistência médica e medicamentosa pelo posto médico local, apoiado pela Direcção Provincial de Saúde do Huambo, a superlotação cria constrangimentos na contenção de doenças contagiosas e na manutenção do saneamento básico, visto que são mais de 410 reclusos acima da capacidade real instalada.

Os reclusos têm desenvolvido um programa curricular conjunto para a inserção no processo de ensino e aprendizagem. Enquanto, que outros beneficiam de cursos que vão desde a alfabetização ao 2º Ciclo do Ensino Secundário, nas áreas de Ciências Físicas, Biológicas e Económicas-Jurídicas, respectivamente.